Thursday, July 26, 2007

Ás vezes tenho uma certeza absoluta que penso demais nas coisas.Não que isso não seja bom , torna-se raro quem o faz hoje. Embalam-se prisões sobre nós e caimos nos becos escuros da complexidade da psicologia Humana.Choramos sobre os corpos caidos levitando o chão que continua vazio. Estão mortos , vitimas de si mesmos , de pulsos abertos e de expressão de horror no rosto. Sente-se a vertigem. E por vezes sinto que é mesmo fugaz , tudo , não apenas a vida. Sei demais , penso nisto mais vezes do que deveria.Não nego , por vezes há medo. Medo nos outros , em mim já nada se transparece nestes monologos inexpressivos a que a minha vida deu lugar , tudo por cobardia. As balas tocam-nos os dedos como palavras doces , o infinito quebra-se sobre os olhares cruzados que nos prendem a esta realidade acidental. Um sorriso. uma palavra.um olhar.tudo o mais.olha para mim.já te disse!.olha para mim.não te vás embora por favor.Era Feliz?.Nunca.E hoje?.Sim, morreu. Quando?.Há tanto tempo. Acabou?. Acho que sim. Está feliz.
Está tão feliz...

1 comment:

Beatriz said...

Não há mal nenhum disso. És só um miudo precoce. Como tantos, em tantas gerações.

Gostei muito. :)